Clique para a página principal

Taxonomia musical

Lista de discussão sobre samba e choro, estilos musicais brasileiros.
 Página principal » Tribuna Livre » Arquivo das mensagens » Indice mensal
Nova mensagem Responder Mensagens por data Mensagens por discussão Mensagens por assunto Mensagens por autor

Autor: Caio Pontual (caioapf_at_terra.com.br)
Data: Sex 19 Set 2003 - 23:52:00 BRT

Caro Toledo
me parece que a questão de ..estilo.. é mais simples de abordar segundo a definição dada na referida enciclopédia, no meu entender é o sotaque da linguagem musical, este pode ser pessoal (Chico tem seu próprio estilo ao compor um samba, como também o tem o João Bosco e que pobre não seria se as interpretaçoes ou as criações não tivessem ..estilo..), pode ser de lugar (o pessoal do Japão ou da Suécia vai desenvolver seu estilo próprio com o passar do tempo e terá as caracteristicas próprias do lugar) e finalmente de época ( o samba da década de 30 era diferente do samba da década de 40 como é diferente dos sambas de hoje, claro com algumas honrosas exceções). Portanto podemos classificar música segundo estilo. Agora é um pouco mais complicado a questão de classificar segundo o gênero, tenho a impressão (não sou especialista, estou a especular) de que o choro foi originalmente uma forma de se interpretar os gêneros pré-existentes, mas que com o passar do tempo o conjunto de caracteres se amalgamou no que conhecemos hoje como choro e que já poderia ser o caso de se enquadrar como um gênero e não mais como um estilo, não é?...
Abraços.
Caio Pontual.

--------------------------------------------------------------------------------

A que o choro, o samba, o jazz se destinam? Entretenimento pura e
simplesmente? Discordo, pois a música, além de ser uma forma de diversão,
pode (e deve) funcionar também como passaporte para certas condições mentais
de percepção, ou seja, deve despertar emoção estética. Conter poesia, enfim.
Logo, não se pode rotular música por um critério de função, finalidade ou
propósito. Diversas composições de Bach têm fundo religioso e eu, ateu, que
sou, não sinto nenhuma presença divina ao ouvi-las (aliás, não sinto
presença divina em absolutamente nada). Ouço-as com grande prazer, asssim
mesmo.
Modo de expressão peculiar a um artista? A um lugar? A uma época?
A um artista: Chico Buarque faz o que, então? Quando ele compõe um samba, é
sambista? E quando compõe um blues? Blueseiro? São diferentes Chicos
Buarques? Discordo.
A um lugar: Não se faz samba no Japão? Já visitei a quadra de uma escola de
samba na Finlãndia, e posso atestar que neguinho saca do riscado. Não se faz
jazz no Brasil? Blues na Inglaterrâ? Mais um cai por terra (ih, rimou).
A uma época: Não se compõe músicas em estilo clássico depois do fim desse
período (exemplo de anacronismo bem-resolvido: a "Sinfonia Clássica" da
Prokofiev)? Não se produz choro (gênero, ou estilo, ou forma de tocar, seja
lá o que for esse treco), ainda hoje, com ótimos resultados?
E eu não disse nada sobre ser um jeito de tocar ou ser um estilo.
Simplesmente demonstrei o quão indissociáveis são as duas definições.
Úm abraço,
Fernando Toledo

_______________________________________________
Para CANCELAR sua assinatura:
        http://www.samba-choro.com.br/tribuna/cancela
Para ASSINAR esta lista:
        http://www.samba-choro.com.br/tribuna/assina
Antes de escrever, leia as regras de ETIQUETA:
        http://www.samba-choro.com.br/tribuna/netiqueta

Nova mensagem Responder Mensagens por data Mensagens por discussão Mensagens por assunto Mensagens por autor

Este arquivo foi gerado por hypermail 2.1.4 : Sex 19 Set 2003 - 23:55:25 BRT