Clique para a página principal

A maior Sambista do Brasil:Clara!

Lista de discussão sobre samba e choro, estilos musicais brasileiros.
 Página principal » Tribuna Livre » Arquivo das mensagens » Indice mensal
Nova mensagem Responder Mensagens por data Mensagens por discussão Mensagens por assunto Mensagens por autor

Autor: Armínio Aires (dvillas_at_hotmail.com)
Data: Qua 17 Set 2003 - 12:10:42 BRT

Olha que maravilha,nossa guerreira vai ganhar Museu.
Mais que merecido pois Clara foi a única que nunca
mudou o estilo prá se manter na mídia.

Matéria do Jornal do Brasil:
 
 
Clara guerreira

No ano em que uma série de homenagens registra as duas décadas da morte de Clara Nunes, o cantor mineiro Márcio Guima, 36 anos, sobrinho da artista, está às voltas com a tarefa hercúlea de reunir material sobre a vida e a obra da tia. Tudo para ajudar a Prefeitura de Caetanópolis, cidade na qual Clara nasceu, a montar o Museu Clara Nunes. Parte do acervo está organizado há pelos menos 15 anos, quando Maria Gonçalves, irmã da guerreira, construiu uma sala de 120 metros quadrados, anexa à creche que leva o nome da cantora, para abrigar os objetos. ''São cerca de 150 vestidos, adereços da umbanda, jóias, bijuterias e quadros'', conta Márcio, que, aliás, recebeu proposta de uma grande gravadora para lançar o CD em homenagem à Clara. ''Recusei. Não preciso explorar isso para sobreviver'', diz. As obras do Museu Clara Nunes estão orçadas em R$ 300 mil, mas até o momento somente a empresa Vallourec & Mannesmann abraçou o projeto, oferecendo R$ 90 mil para as reformas iniciais do antigo cinema Clube Cedrense. O espa
ço pertencia à fábrica têxtil Cedro-Cachoeira, onde Clara trabalhou como tecelã, entre 1956 e 1958. Foi neste cinema que a artista cantou pela primeira vez aos 9 anos.

Mais Clara
O compositor Paulo Cesar Pinheiro, último marido de Clara Nunes, anda desfiando farpas contra a EMI. A gravadora quer relançar em CD gravações da cantora no início dos anos 70, período em que ela se dedicou a um repertório mais romântico, com versões de músicas francesas e italianas. Ele argumenta que Clara detestava esta fase da carreira. Mas, segundo Márcio Guima, Clara nunca renegou este repertório. ''Ela estava começando e tinha de fazer o que gravadora mandava. Sou a favor de lançarem a coletânea. Para os fãs seria ótimo'', diz. Mas até aí morreu neves. Quem decide mesmo é Paulo Cesar, que casou em comunhão de bens com a cantora e, hoje, é detentor dos diretos autorais da obra da artista.

_______________________________________________
Para CANCELAR sua assinatura:
        http://www.samba-choro.com.br/tribuna/cancela
Para ASSINAR esta lista:
        http://www.samba-choro.com.br/tribuna/assina
Antes de escrever, leia as regras de ETIQUETA:
        http://www.samba-choro.com.br/tribuna/netiqueta

Nova mensagem Responder Mensagens por data Mensagens por discussão Mensagens por assunto Mensagens por autor

Este arquivo foi gerado por hypermail 2.1.4 : Qua 17 Set 2003 - 14:12:04 BRT