Clique para a página principal

Choro e Jazz (mais uma vez?) eraRe: João estamos chegando a algum lugar, sem ofensas.

Lista de discussão sobre samba e choro, estilos musicais brasileiros.
 Página principal > Tribuna Livre > Arquivo das mensagens > Indice mensal
Nova mensagem Responder Mensagens por data Mensagens por discussão Mensagens por assunto Mensagens por autor

pl_PL: Herculano de Lima Einloft Neto (hlen_at_ig.com.br)
Data: dom 19 jan 2003 - 17:44:15 EDT

Carlos Mauro:

       "A harmonia no samba, no choro, na
música africana, no jazz e em qualquer gênero musical pra valer (que não
seja apenas uma denominação criada para fins mercadológicos) é uma
caracteristica estrutural essencial"

       Lendo essa discussão, me veio à mente um assunto que sempre me impressionou.
       Vocês já notaram como os músicos de choro têm uma forte tendência a afirmar e reafirmar que o choro é uma "forma de tocar", e não uma vertente musical - "uma forma de tocar assim como o jazz". É lugar-comum a frase:
"O choro, assim como o jazz,(...)"
    Insinua-se que o choro só não é assimilado mundialmente como o jazz por conta do imperialismo cultural americano, e alguns defensores do choro chegam a fazer pouco do jazz.
    Não me levem a mal, sou brasileiro e gosto de samba como vocês e também ouço choro. Mas dizer isso pra mim é mUita forçação de barra. Digo mais: é pejorativa para o jazz essa comparação. Perguntem a qualquer americano se ele concorda com isso; aposto que não - não conseguem nem levar a sério. Não é à toa que eles comparam o choro com o ragtime, isso já me soa mais plausível.
     Para começar o choro tem uma estrutura rítmica extremamente restrita. Isso já bastaria para pôr abaixo qualquer paralelismo; o jazz, por mais que por vezes soe repetitivo, é um universo ordens de grandeza maior que o choro, isso só falando ritmicamente. Nesse sentido o jazz é muito rico, vai do swing e do bebop até Naná Vasconcelos e Moacyr Santos, passando por Paul Desmond, isso pra não falar de Jack DeJohnette e suas experimentações (Ornette nem vou mencionar pra não me atirarem pedras).
     Agora, Carlos Mauro, Newton e Ntanure, se formos falar de harmonia, aí vira sacanagem; não dá nem pra começar! Tirando as geniais composições de Pixinguinha (justamente aquelas que foram acusadas de jazzísticas) e uma coisa ou outra do Jacob, e mais alguns choros de músicos reconhecidamente com um pé no jazz como o Hermeto, o choro é praticamente 100% diatônico. Isso perto do jazz é ridículo. Nossa, é muito ridículo... Estará o choro anos luz atrás do jazz? Não, simplesmente o choro não é comparável ao jazz, apesar de ser um fenônemo valiosíssimo. O jazz é um universo, o choro é um sistema solar.
     Então esse tipo de atitude em relação ao choro parece aquela coisa típica de chororô brasileiro, "nós somos tão bons quanto eles, somos injustiçados...". Mas nesse caso não acho que seja bem assim.

     (Por favor não me excomunguem) :-)

    Abraço,

     Herculano de Lima Einloft Neto
_____________________________________________________________
Para CANCELAR sua assinatura:
        http://www.samba-choro.com.br/tribuna/cancela
Para ASSINAR esta lista:
        http://www.samba-choro.com.br/tribuna/assina
Antes de escrever, leia as regras de ETIQUETA:
        http://www.samba-choro.com.br/tribuna/netiqueta

Nova mensagem Responder Mensagens por data Mensagens por discussão Mensagens por assunto Mensagens por autor

Este arquivo foi gerado por hypermail 2.1.4 : dom 19 jan 2003 - 17:44:19 EDT